[Bate-Papo] Por que não vou mais dizer que sou gorda

06:45:00 Vivi Lemes 5 Comments

Olá pessoal!

O post de hoje foi inspirado nesta postagem do Capitolina e traz à tona um assunto que há tempos queria tratar com vocês, mas nunca tinha inspiração que bastasse: gordofobia.


Nos últimos 8 anos ganhei uns 12 quilos e isso me fez sentir gorda. As roupas já não ficam tão bem, o cansaço pega mais rápido, não consigo cruzar as pernas confortavelmente e é difícil achar bota que feche, entre outros incômodos.
Faço frequentemente piadas sobre estar gorda, mas sabe o que é isso? Uma maneira de maquiar a explicação que sinto que devo dar para as pessoas, como “eu sei que estou gorda, mas vou mudar isso, tá? Por favor, não me xingue!”
Abandonei as blusinhas com barriga de fora. Maquio o rosto para ficar mais fino... É, realmente a vida ficou muito mais difícil desde que fiquei gorda.
Acontece que... EU NÃO SOU GORDA!

Ai meu Deus, fala sério, como não percebi que vinha fazendo isso?! E as “dificuldades” que este peso a mais trouxe? Nenhuma delas é séria o suficiente para mudar minha vida. Tenho 1.63m e 65kg.

Não estou aqui dizendo “Ó! Graças a Deus não sou gorda, ainda bem!”, não até porque, se fosse, o correto seria ignorar a pressão externa e continuar me amando. O que quero dizer é que ter sido mais magra não me faz gorda hoje e falar que o sou é nada menos do que hipocrisia: com o peso que tenho nunca conhecerei o sofrimento que os gordos passam.
Jamais saberei o que é o bullying que esse pessoal sofre na escola, não sei como é achar que não vou passar na catraca do ônibus ou caber na cadeira do cinema porque, convenhamos, o mundo não é feito para os gordos. Não sei como é sentir a reprovação vinda de todos os lados.

E veja que não falo “gordinhos”, pois a palavra “gordo” não denomina nada errado para que eu tente aliviar seu significado.

Créditos: Ana Terra

Dizer que sou gorda com uma conotação negativa já é ruim, não sendo é pior ainda, pois é quase como calar a voz de quem realmente enfrenta uma sociedade gordofobica. É diminuir seu sofrimento e desrespeitar sua dificuldade – e não, eu não estou exagerando.

Se você é como eu e realmente lamenta essa cultura que oprime tanto determinadas características físicas, adoecendo a mente de todos, gostaria de propor um pequeno desafio: fazer sua parte para diminuir a gordofobia. Divido abaixo algumas dicas legais que encontrei, ditas por pessoas que realmente sofrem com esta opressão e acho que devemos seguir pelo bem de todos:

- Pare de dizer “gordinho”: como citei acima, ser gordo não é errado, então não precisamos aliviar seu significado.

- Não use a palavra “gordo” com conotação ruim: Dizer “Sou mais gorda, então esta blusa não me serve” diz simplesmente que sou maior que a blusa. Agora, “vou apagar esta foto porque estou gorda” representa que tenho um defeito a esconder nessa foto, então vou apagá-la. É difícil, mas comece a prestar atenção no que você diz, é importante.

- “Essa roupa é linda, ajuda a emagrecer”: Claro, porque emagrecer é o sonho de todo mundo, né?

- Gordice: ai, essa eu falo todos os dias. Subentende-se “estou fazendo gordice, que vergonha”. Como se a principal coisa que o gordo fizesse fosse comer. Como se eu devesse ter vergonha de comer. Paremos, não tem graça.

E é isso, gente. Hoje o post teve um tom mais sério, mas as vezes isso vai acontecer aqui porque há assuntos que precisamos debater, informações que precisamos difundir e, quem sabe, reparar algumas fissuras enormes no nosso bom-senso.


Um bjo!! <3

*As imagens sem créditos são do Pinterest.

5 comentários:

  1. Flor, pelo amor...vi fotos suas aí acima e de gorda vc não tem nada! rsrs Sabe, sempre fui muito magra. Há não muito tempo atrás pesava 52, 53 kg para 1, 70m. Quando fumava 2 maços de cigarros por dia, cheguei aos 45kg. Imagina o esqueleto ambulante que eu era! Vivia complexada, tomei remédios para engordar e nada. Até q aos poucos fui desencanando, mudando hábitos e aceitando (ou me resignando rsrs) Até q no ano passado, por conta de uso de corticóides por tempo prolongado pulei dos 53 para os 62 kg. E não me senti bem com isso pq a causa disso era um problema de saúde. Hj devo estar com uns 57 kg, mas agora fico aliviada pq não estou com esse peso graças a remédios.
    Portanto, ame-se independente dos preconceitos da sociedade, mas se convencer de que é gorda pq está acima de 60 kg é entrar numa neura sem volta. Ainda bem que vc recobrou a consciência!
    Bjs e seja feliz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!
      Sim, realmente é uma bobagem pensar isso, mas a real é que o que importa mesmo é nossa saúde, sabe? Como você disse, engordar por estar doente é algo triste, mas se é o formato do nosso corpo, se é da nossa natureza, isso não pode ser problema! As vezes a gente se apega a bobagens por pressão externa e isso não é certo.
      Que bom que está melhor hoje e que bom que passou a "neura", ninguém merece viver com a sensação de estar errada só por ter aumentado de peso.
      Um bjo pra vc e apareça, viu!? =DD Adoro seu blog tbm!
      Bjss

      Excluir
  2. quero emagrecer por favor me ajuda.

    ResponderExcluir